Goiás – Hugol alerta sobre os perigos da trombose

A trombose é caracterizada pela formação ou desenvolvimento de um coágulo sanguíneo responsável por causar a obstrução e inflamação na parede do vaso, dificultando o fornecimento de sangue para o corpo. O Hugol aplica o Protocolo de Prevenção de Trombo Embolismo Venoso com o objetivo de instituir profilaxia aos pacientes internados

Equipe do Hugol, cuja participação na aplicação do TEV é fundamental para sucesso na prevenção (Foto: Edson Freitas)

No dia em que se comemora o Dia Mundial da Trombose (13/10), o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) conscientizou seus colaboradores sobre a importância do Protocolo de TEV (tromboembolismo venoso) estabelecido na unidade do Governo de Goiás. A participação da equipe multidisciplinar do hospital na aplicação do TEV é essencial para o sucesso na prevenção. Para a iniciativa, foi preparada uma decoração temática, criação de painel com informações e dinâmicas.

“O TEV pode ser grave, mas a avaliação de risco e as ações preventivas são simples. Evitar esse acontecimento torna-se prioridade no Hugol. O nosso protocolo tem o objetivo de estratificar os pacientes quanto ao risco e estabelecer diretrizes que orientem a profilaxia para os pacientes internados”, relatou Erival Batista Santana, supervisor médico de cirurgia vascular da unidade.

A trombose é caracterizada pela formação ou desenvolvimento de um coágulo sanguíneo responsável por causar a obstrução e inflamação na parede do vaso, dificultando o fornecimento de sangue para o corpo. O Hugol aplica o Protocolo de Prevenção de Trombo Embolismo Venoso com o objetivo de instituir profilaxia aos pacientes internados. O termo tromboembolismo venoso inclui a trombose venosa profunda (TVP) e o tromboembolismo pulmonar (TEP).

“Aproveitamos a data para promover uma imersão dos colaboradores do centro cirúrgico no Protocolo de TEV, alertando sobre suas indicações e contraindicações. Também reforçamos as orientações para pacientes em pós-operatório, como: controle do peso, prática de atividade física e, principalmente, uso da meia compressiva para os que são recomendados”, relatou Mônica Ribeiro, enfermeira da unidade.

Fonte: Secretária Estadual de Saúde/ Agir (SES/ Agir)