Goiás – Estável, índice de positividade em Aparecida no mês de junho se mantém em 23%

Cidade é a que mais testa no estado com exame RT-PCR – padrão ouro. Taxa indica que, em média, a cada 4 pessoas testadas 1 está contaminada

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia (SMS) atualizados e referentes à primeira quinzena de junho, o índice de positividade nas testagens realizadas na cidade para identificar a covid-19 está em 23%. A taxa indica que, em média, a cada 4 pessoas testadas, 1 está contaminada. Apesar de estável, a Prefeitura conclama a toda a população para que mantenha as medidas preventivas como o distanciamento social, o uso de máscaras, a ventilação dos ambientes e a higienização das mãos. Ao mesmo tempo, a SMS avisa a todas as pessoas que estão com sintomas gripais ou que tiveram contato com infectados pelo novo coronavírus para que agendem o teste e busquem o diagnóstico precoce.

O município é o que mais oferece exames RT-PCR padrão ouro de diagnóstico da covid-19, conhecido popularmente como “teste do cotonete”. Nesta semana, a cidade ultrapassou mais de 300 mil exames realizados. A Prefeitura aposta na estratégia para conseguir diagnosticar precocemente os doentes, rastrear contatos e quebrar a cadeia de transmissão. Além disso, a partir dos testes, todos os casos confirmados são monitorados pela equipe da Central de Telemedicina, sendo que as pessoas mais vulneráveis realizam, a cada 48h, uma bateria de exames laboratoriais que acompanha a evolução da doença para evitar o agravamento rápido da infecção e a morte. Com isso, a taxa de letalidade de Aparecida é uma das menores do País dentre as grandes cidades. Enquanto 1,9% dos aparecidenses diagnosticados com a doença evoluem para o óbito, em Goiás e no Brasil o índice é de 2,8%.

“Somos a cidade que mais testa a sua população em Goiás. O resultado do exame sai em 24h e todos os casos positivos são acompanhados por profissionais de saúde. Temos, ainda, um programa que monitora mais intensamente aqueles com maior risco de morte pela doença e que inclui a realização de tomografia computadorizada, combo de exames a cada dois dias e empréstimo de oxímetros. Estamos empenhados em proteger as pessoas e temos obtido êxito em nossas iniciativas de enfrentamento, mas todos precisam entender que a pandemia não acabou e que é preciso manter as medidas de segurança indicadas pelas autoridades sanitárias”, enfatiza o prefeito Gustavo Mendanha.

Estratégias científicas

O secretário de Saúde Alessandro Magalhães informa que em maio a cidade realizou 21.280 testes RT-PCR, com 22,21% de positividade e, agora, em junho, nos 15 primeiros dias do mês, foram feitas 14.204 testagens com 3.320 positivos, o que representa uma taxa de 23,37% de positividade para o novo coronavírus. “É um índice considerado estável. Em uma das épocas mais críticas do ano chegamos a ter um resultado positivo a cada três testes realizados. Ou seja, o índice estava acima de 30%. Estamos sempre monitorando esses dados para tomarmos medidas efetivas de enfrentamento à pandemia e a testagem em massa é fundamental para isso”, afirma.

Alessandro Magalhães salienta que Aparecida tem capacidade para realizar até 2.000 RT-PCR’s diariamente e que os testes já realizados correspondem a mais de 50% da população de Aparecida (590.146 habitantes, segundo o IBGE) e que precisam continuar a ser feitos permanentemente para salvar vidas, reduzir agravamentos de casos positivos, respaldar as decisões do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 e monitorar a situação real da pandemia no município: “A testagem em massa é como um Raio X da pandemia que nos permite obter dados valiosos sobre os casos positivos.”

Isolamento eficaz

Além disso, o gestor evidencia a importância do isolamento social intermitente: “É uma iniciativa que tem tido a adesão da comunidade e contribuído para melhorar o índice de contaminação em Aparecida, mas repito o que já disse anteriormente, que estamos lidando no Brasil com variantes do novo coronavírus que são mais contagiosas e que agravam-se mais rapidamente, por isso ninguém pode relaxar ainda. Mantenham os cuidados, usem as máscaras tapando o nariz e a boca e fiquem em casa sempre que puderem”, reforça ele.

Quem também frisa a necessidade de se manter os cuidados preventivos para deter a transmissão da covid-19 é o superintendente de Atenção à Saúde da SMS, Gustavo Assunção. “Temos um planejamento em Aparecida e uma estrutura da rede de atendimento que propiciam diagnóstico precoce e tratamento adequado. Ao mesmo tempo, implantamos regras de distanciamento social que mudam conforme o cenário epidemiológico. Porém, para que conheçamos a realidade da situação e para que possamos evitar mortes, todos devem continuar em alerta e seguir as orientações sanitárias”.

Testagem de excelência

Aparecida de Goiânia realiza as testagens com o exame tipo RT-PCR, considerado pelos especialistas como “padrão ouro e de referência” para esse tipo de diagnóstico no mercado atual e que detecta o RNA do novo coronavírus com técnicas de biologia molecular. O resultado sai em cerca de 24h e no teste são coletadas amostras através de swabs (cotonetes longos) de nasofaringe (nariz) e orofaringe (garganta).

Como agendar e onde testar

Aparecida de Goiânia oferece testes RT-PCR para moradores do município com sintomas da covid-19 ou que tiveram contato com alguém infectado. O exame pode ser realizado de segunda a sexta-feira das 8h às 16h em dois postos de drive-thru (Cidade Administrativa e Hospital Garavelo) mediante agendamento pelo telefone 0800-646-1590 ou pelo aplicativo “Saúde Aparecida”. O acesso à ferramenta também está disponível no site da Prefeitura (aparecida.go.gov.br).

E mais: o RT-PCR também pode ser realizado em oito Unidades Básicas de Saúde (UBS´s) de segunda a sexta-feira das 7h às 17h: Alto Paraíso, Garavelo, Independência Mansões, Expansul, Tiradentes, Buriti Sereno, Chácaras São Pedro e Pontal Sul. O agendamento também é feito pelo aplicativo “Saúde Aparecida” ou por encaminhamento profissional. Nestes casos, o paciente precisa passar antes por uma consulta em qualquer unidade da rede, seja da Atenção Primária ou da Urgência, e ser avaliado pelo médico. Já nas UPA’s e hospitais da cidade os testes são realizados em pacientes internados.