Goiás – Com escalonamento regional, Aparecida de Goiânia atinge 50% de isolamento social no início do abril

Foto: Comerciantes cumprem o escalonamento regional da Avenida da Paz no Setor Garavelo nesta terça-feira, 06. (Foto: Enio Medeiros)
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o isolamento social é a forma mais eficiente de reduzir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus. Por isso, a medida é uma das prioridades da Prefeitura de Aparecida, que adota estratégias que preservam vidas e a economia local

Aparecida de Goiânia registrou índices de isolamento social de 46% a 50% nos 4 primeiros dias de abril. Os dados são das 5 maiores operadoras de telefonia móvel do Brasil (Claro, TIM, Oi, Vivo e Algar) que os disponibilizam para prefeituras e governos estaduais para auxiliar no monitoramento da mobilidade das pessoas durante a pandemia. De 1 a 4 de abril, em pleno feriado da Semana Santa, a cidade teve seu ápice do isolamento no domingo de Páscoa, 4, com índice de 50%, o que indica que metade da população local optou por ficar em casa. A expectativa da Prefeitura é a de que esse percentual seja mantido nos próximos dias para aumentar a proteção da comunidade contra o novo coronavírus.

Segundo as informações das operadoras, que verificam o deslocamento de pessoas a partir das torres de telefonia, de 1 a 4 de abril Aparecida teve índices diários de isolamento social de 46%, 48%, 48% e 50%, respectivamente. As taxas seguem a média de cidades vizinhas e do estado. Nesses mesmos dias, Goiânia, cidade divisa com Aparecida, atingiu 42%, 47%, 46% e 48%. Em todo o Estado de Goiás, a ferramenta apontou índices de 48%, 50%, 50% e 51% no mesmo período.

Avenida Pedro Luis Ribeiro, Setor Bela Morada na segunda-feira, 05 de abril – Foto: Enio Medeiros
Adesão da sociedade

“Os números demonstram que a população de Aparecida está aderindo ao isolamento social. Praticamente metade das pessoas ficaram em casa neste fim de semana e isso é muito importante para deter o avanço do novo coronavírus no município e proteger mais as pessoas. Sobretudo, todos devem se conscientizar de que a pandemia não acabou, está muito forte em todo o País e não se pode abandonar as medidas de higiene, o distanciamento, o uso correto de máscaras e a ventilação dos ambientes”, destaca o secretário de Saúde Alessandro Magalhães.

Ele lembra que desde o último 1º de março Aparecida suspendeu todas as atividades econômicas não essenciais e no dia 15 iniciou o isolamento social intermitente por escalonamento regional com fechamento alternado por macrozonas. “Esta estratégia já tinha sido adotada na cidade entre os meses de junho a agosto de 2020 e na ocasião obteve a adesão de 98% da sociedade, alcançando índices de isolamento social de 48% no meio de semana e picos de 51% aos sábados e domingos. Agora, estamos repetindo essa marca e queremos até suplantá-la, se possível, para preservarmos vidas. Contamos com o apoio de todos os que habitam e trabalham em Aparecida”, afirma o secretário.

Modelo com base científica

A Prefeitura de Aparecida, por meio do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Novo Coronavírus, adotou, após estudos científicos, o regime de isolamento social intermitente para diminuir a movimentação de pessoas nas ruas, e, ao mesmo tempo, aumentar o distanciamento social preservando vidas e o cenário socioeconômico local. Dessa forma, Aparecida está dividida em 10 macrozonas e cada uma delas fecha, de acordo com o cenário atual, duas vezes de segunda a sexta-feira, inclusive os serviços essenciais, e aos sábados e domingos a cidade inteira fecha os comércios não essenciais.

Para a Prefeitura, o escalonamento regional tem alcançando seus objetivos por oferecer vantagens para a população e para a administração municipal. Nesse sentido, a gestão ressalta a previsibilidade para que empresários e comerciantes das mais de 53 mil atividades econômicas do município se programem para o abre e fecha dos estabelecimentos, bem como a concentração da fiscalização nas regiões fechadas.

Avenida Independência, Jardim Monte Cristo na segunda-feira, 05 de abril (Enio Medeiros)
O cenário atual

Além do isolamento social, a secretaria de Saúde (SMS) de Aparecida investe pesadamente na testagem ampla, no diagnóstico precoce, no monitoramento dos pacientes com exames e oxímetros e na ampliação dos leitos hospitalares. Até esta segunda-feira, 5, a matriz de risco desenvolvida pela SMS para monitorar e avaliar a evolução da pandemia na cidade está no nível alto (laranja). De acordo com a ferramenta, foram realizados 242.061 testes de diagnóstico de covid-19 do tipo RT-PCR (Padrão ouro internacional) e a cidade possui 964 casos ativos da doença que estão hospitalizados ou sendo monitorados pela equipe de Telemedicina. Em relação à estrutura de atendimento, Aparecida conta, atualmente, com 352 leitos Covid estruturados, sendo 156 UTI’s em pleno funcionamento, e a taxa de ocupação desses leitos intensivos na rede pública de Saúde está em 80%.